Série - dezembro 03, 2022

Uma nova estação • 18 a 23 de abril

ORIENTAÇÕES

Planejamos uma agenda muito especial para as nossas células no mês de abril. Se você já ministrou com qualidade em sua célula a lição SEM PARAR O IMPACTO, então seja bem-vindo ao estudo de hoje que será uma repercussão da Conferência Transbordar (tema 2). Caso você não tenha trabalhado o tema SEM PARAR O IMPACTO, volte até ele, pois se trata de um estudo prioritário para este mês. 

Fique atento a essas orientações para conduzir sua célula da melhor maneira ao longo do mês. Organizamos a agenda de abril para sua célula conforme o dia da semana que sua reunião ocorre, para não haver uma quebra que te impeça de ministrar alguns conteúdos importantes ao coração do seu pessoal.

CÉLULAS DE SEGUNDA E DE TERÇA-FEIRA

Primeira semana: 04 ou 05 de abril

Levar toda a célula para a Conferência Transbordar

Segunda semana: 11 ou 12 de abril

Lição: SEM PARAR O IMPACTO

Terceira semana: 18 ou 19 de abril

Lição: Conferência Transbordar (tema 1)

Quarta semana: 25 ou 26 de abril

Lição especial: ALCANCE

CÉLULAS DE QUARTA, QUINTA E SEXTA-FEIRA

Primeira semana: 06, 07 ou 08 de abril

Lição: SEM PARAR O IMPACTO

Segunda semana: 13, 14 ou 15 de abril

Lição: Conferência Transbordar (tema 1)

Terceira semana: 20, 21 ou 22 de abril

Lição: Conferência Transbordar (tema 2)

Quarta semana: 27, 28 ou 29 de abril

Lição especial: ALCANCE

QUEBRA-GELO

No encontro de hoje estamos repercutindo tudo o que Deus fez na Conferência Transbordar. Foram dias tão especiais e cremos que fomos levados a um novo nível de experiência, fé e intimidade com Deus. Separe um tempo do encontro de hoje para que os presentes compartilhem testemunhos de experiências pessoais que tiveram na conferência.

ÁGUAS PROFUNDAS

Certo homem saiu para um passeio de barco com o seu pai. O pai entrou no barco enquanto ele foi empurrando o barquinho para dentro da água. Quanto mais ele empurrava aquele barco para longe da praia, mais as águas iam subindo de nível e tocando suas pernas.

Após dar alguns passos, sentiu a água alcançar objetos guardados dentro dos seus bolsos. Aquele homem remove então suas chaves, carteira e celular do bolso, entregando tudo nas mãos do pai. Diante dessa singela experiência, ouviu a voz de Deus ministrando ao seu coração:

“Poucas pessoas estão dispostas a ir em águas mais profundas em Deus porque é preciso entregar tudo para o pai, antes de ir nessas águas profundas.”

O Pr Cesinha Sitta contou a experiência acima, do passeio de barco com seu pai, e compartilhou algumas impressões proféticas que Deus coloca em seu coração sobre a Central e sobre a Igreja de Cristo:

Ele entendeu ser o tempo de irmos a um novo nível em Deus. Nesse nível mais profundo há coisas novas que estão sendo liberadas e passos que Deus está nos convidando a dar. Nossa luta é tentar ficar retendo coisas que o pai mandou nós entregarmos.

Deus está mudando uma estação na Igreja nesse tempo. Toda vez que Deus está mudando uma estação, ele muda sua maneira de se mover. Para mudarmos o nível, precisamos entrar em um local de renúncia total, onde renunciamos a coisas legítimas para entrarmos em um local onde fluem águas mais profundas. Perdemos o controle e passamos a ser controlados pelo Espírito de Deus.

Pergunta: Você está disposto a entregar tudo nas mãos do pai? Você está preparado para mergulhar em águas mais profundas?

DEUS MUDA AS ESTAÇÕES

Há algo muito sério e precioso que precisamos compreender sobre as estações de Deus:

E o Senhor disse a Moisés: “Pegue a vara, e com o seu irmão Arão reúna a comunidade e diante desta fale àquela rocha, e ela verterá água. Vocês tirarão água da rocha para a comunidade e os rebanhos beberem”. Então Moisés pegou a vara que estava diante do Senhor, como este lhe havia ordenado. Moisés e Arão reuniram a assembleia em frente da rocha, e Moisés disse: “Escutem, rebeldes, será que teremos que tirar água desta rocha para lhes dar? “ Então Moisés ergueu o braço e bateu na rocha duas vezes com a vara. Jorrou água, e a comunidade e os rebanhos beberam. O Senhor, porém, disse a Moisés e a Arão: “Como vocês não confiaram em mim para honrar minha santidade à vista dos israelitas, vocês não conduzirão esta comunidade para a terra que lhes dou”. Números 20:7-12

Moisés não percebeu que a estação havia mudado e por causa disso ele foi impedido de entrar na terra prometida.  Aparentemente tudo estava igual: mesmo cajado, mesma rocha, mesma água, mesmo povo, mesmo deserto, mesmas reclamações. No nosso caso: mesma igreja, mesmo pastor, mesma célula, mesmos problemas, mesmas pessoas, mesmo líder. Está tudo tão parecido, como perceber no coração que uma estação mudou? Porque essa mudança de estação é tão importante?

Parece que Deus foi muito duro com Moisés por ele bater na rocha ao invés de falar à rocha, mas a questão é que na nova estação, há um novo modo de atuação. Se Moisés não pôde se preparar para a nova estação, não havia mais lugar para ele no projeto divino.

Observe que na conquista da terra, a primeira cidade foi Jericó e essa cidade não foi conquistada batendo em seus imponentes muros, mas falando aos muros. A experiência no deserto de falar à rocha ao invés de ferir a rocha, já era um preparo da liderança do povo para uma nova maneira de Deus agir.

Deus nos desafia a estarmos sensíveis às estações, porque Ele não quer que nós fiquemos de fora de algo extraordinário que ele vai fazer em nossa geração. Vivemos em um tempo decisivo na história da humanidade e na história da Igreja. Há uma mudança de estação e uma mudança no mover de Deus. Precisamos estar sensíveis às direções do Espírito para participarmos de tudo o que Deus vai fazer nesses dias.

Pergunta: Você ainda está batendo na rocha ou já aprendeu a falar com a rocha e a interagir com ela?

PASSANDO POR CIMA DOS MUROS

Obstáculos tem se levantado para impedir o que Deus quer fazer por meio da sua igreja, mas nenhuma barreira exterior consegue pará-la. Há uma palavra profética muito reveladora quando olhamos a benção de Jacó sobre seu filho José:

“José é uma árvore frutífera, árvore frutífera à beira de uma fonte, cujos galhos passam por cima do muro. Gênesis 49:22

José é uma tipologia bíblica que aponta para Cristo: José e Jesus foram traídos por seus irmãos; José foi vendido por seu irmão Judá e Jesus foi vendido por seu discípulo Judas; José e Jesus foram para o Egito sem querer ir; José e Jesus foram presos entre dois condenados; José e Jesus foram amados pelo pai; por José e Jesus toda a descendência foi abençoada. José é uma prefiguração de Cristo.

“Eu sou a videira verdadeira, e meu Pai é o agricultor” .”Eu sou a videira; vocês são os ramos. Se alguém permanecer em mim e eu nele, esse dá muito fruto; pois sem mim vocês não podem fazer coisa alguma”. João 15: 1 e 5

Jesus toma para si a profecia de Jacó, apresentando-se como a videira verdadeira. Nessa profecia, nós somos os galhos e os galhos passam por cima dos muros. Muitas vezes temos a expectativa errada de que Deus vai remover os obstáculos que estão diante de nós.

Ao olhar essa palavra, fica claro que obstáculos e desafios continuarão vindo, mas Deus vai nos dar o poder para transpor qualquer barreira que se levanta contra o avanço do reino de Deus. Nossa tendência é culpar os muros, justificando que paramos ou recuamos por causa deles. Mas fica claro aqui que, se somos galhos da videira verdadeira, passaremos por cima de qualquer obstáculo que aparecer.

Vídeo: separe uns minutos para passar o vídeo abaixo, contendo trechos da palavra do Pr Cesinha Sitta

Pergunta: Quais muros tem se levantado diante de você? Você recua em sua vida com Deus por causa desses muros? Pelo poder de Deus você tem conseguido transpor todos os obstáculos?

CONCLUSÃO

O segredo é estar conectado à videira. O grande segredo é compreender que não podemos nada sem Jesus. Não há avivamento em que o povo de Deus não caia aos pés de Jesus reconhecendo que não pode nada sem ele. Reconhecendo que tudo o que precisamos é a presença dele. 

A Igreja não pode ser parada por nenhum fator externo, mas pode sim, ser parada por fatores internos. Precisamos compreender o que está acontecendo internamente. Avaliar se estamos conectados na videira e se compreendemos o que carregamos. 

Deus está, nessa nova estação, despertando um povo que:

• Ama o secreto, ama estar em sua presença

 • Uma geração avivada porque compreende que nada pode sem Jesus 

  Galhos conectados à videira, que não serão parados por nenhuma barreira

 • Um povo que compreende que está carregando a vida, o poder e a glória de Deus

Vídeo: faça uma ministração especial, desafiando os presentes a se conectarem à videira e desafie cada um a compreender o que carregam aqueles que estão em Cristo. Conclua a palavra e a ministração do encontro de hoje passando o vídeo abaixo, material tão rico e inspirador elaborado para a nossa conferência.