Série - outubro 24, 2020

Segredos em casa – Parte 2 • 27 de abril a 02 de maio

Série - outubro 24, 2020

Segredos em casa – Parte 2 • 27 de abril a 02 de maio

INTRODUÇÃO

Quando estamos em público, tentamos passar uma imagem um pouco melhor de nós mesmos. Mas dentro de casa revelamos quem nós realmente somos. Na semana anterior e nessa semana, estamos conversando sobre a parábola do filho pródigo, umas das parábolas mais profundas e marcantes contadas por Jesus.

O período de isolamento que todo o planeta está atravessando tem mexido com muitas pessoas e tem trazido à tona alguns segredos que estavam escondidos e até alguns problemas que estavam camuflados, ligados aos relacionamentos, ao temperamento e até mesmo à fé. Queremos aprender com esse texto bíblico tão impressionante para que Deus possa nos ensinar a ter a atitude correta neste momento e crescer em todos os âmbitos: com a gente mesmo, com Deus e com a nossa família.

O OUTRO LADO DOS SEGREDOS

Na semana anterior vimos os segredos acerca do irmão mais novo que, ansioso para sair de casa, gastou todos os seus bens buscando uma felicidade e uma liberdade que ele só conseguiu encontrar perto do Pai. Essa semana vamos aprender o outro lado dos segredos dessa família que, na verdade, representa dois extremos equivocados de viver nossa relação com Deus. Hoje vamos olhar para a vida do irmão mais velho e aprender lições preciosas para avivar nossa conexão com Deus. Leia com a sua célula a segunda parte dessa história:

“Enquanto isso, o filho mais velho estava no campo. Quando se aproximou da casa, ouviu a música e a dança. Então chamou um dos servos e perguntou-lhe o que estava acontecendo. Este lhe respondeu: ‘Seu irmão voltou, e seu pai matou o novilho gordo, porque o recebeu de volta são e salvo’. “O filho mais velho encheu-se de ira, e não quis entrar. Então seu pai saiu e insistiu com ele. Mas ele respondeu ao seu pai: ‘Olha! Todos esses anos tenho trabalhado como um escravo ao teu serviço e nunca desobedeci às tuas ordens. Mas tu nunca me deste nem um cabrito para eu festejar com os meus amigos. Mas quando volta para casa esse seu filho, que esbanjou os teus bens com as prostitutas, matas o novilho gordo para ele! ’ “Disse o pai: ‘Meu filho, você está sempre comigo, e tudo o que tenho é seu. Mas nós tínhamos que comemorar e alegrar-nos, porque este seu irmão estava morto e voltou à vida, estava perdido e foi achado’ “. Lucas 15:25-32

CONFLITOS EM CASA – problema 1

Pergunta: Nessa quarentena, quais têm sido os maiores conflitos em sua casa?

Dentro de casa vivemos os maiores desafios em nossos relacionamentos. Dividir o mesmo espaço com nossos familiares não é uma tarefa fácil, ainda mais considerando que cada pessoa dentro da casa tem características, necessidades e maneiras de se comunicar diferentes.

A atitude desse irmão mais velho nos ajuda a compreender qual é, de fato, a maior fonte de conflitos dentro de um lar: a busca por reconhecimento. Essa necessidade começa desde muito cedo. Quem já reparou crianças brincando, sabe que a todo momento as crianças vão chamar a atenção dos pais ou dos adultos para mostrar: ‘olha o que eu sei fazer’, ‘veja o que eu fiz agora’.

A afirmação do irmão mais velho é muito comum de ser observada nos conflitos dentro de casa. Você já disse ou escutou frases como essas?

• Todos esses anos tenho me dedicado tanto, mas sem nenhum reconhecimento

• Faço tudo por nossa família, mas você só reclama de mim

• Cuido de tudo em nossa casa e você nem nota

• Eu estudo, me esforço para melhorar, mas você só percebe as minhas falhas e notas ruins

• Será que você só percebe meus defeitos

• Porque você não me dá atenção e não se importa com meus sentimentos

Pergunta: Você sente falta de ser reconhecido em algum aspecto dentro da sua casa? Você tem dado às pessoas da sua família o reconhecimento que elas precisam?

CONFLITOS EM CASA – problema 2        

A queixa do irmão mais velho revela um outro aspecto dos conflitos dentro de casa. Esse aspecto está bem ligado à busca por reconhecimento e funciona como um fator de agravamento. É como se essa fonte 2 trouxesse uma pimenta a mais ao problema. Estamos falando sobre a comparação.

Todas as pessoas estão buscando em seu íntimo alguma forma de reconhecimento e muitas vezes se frustram e se magoam quando ficam se comparando com os outros. O irmão mais velho ficou indignado porque comparou suas atitudes com a do seu irmão mais novo e comparou as reações do Pai.

A comparação traz algumas consequências aos relacionamentos familiares. Leia a lista com a sua célula:

• Um irmão sente que o outro é favorito ou possui privilégios

• Irmãos brigam, se rebelam e se sentem injustiçados

• Os pais se sentem deixados de lado, já que seus filhos só dão valor ao que é ‘de fora’

• Uns ficam irritados com os outros porque seu familiar só fica na internet e não dispensa atenção presencial de qualidade

• A esposa sente que seu marido dá mais atenção ao trabalho, à mãe dele ou os seus hobbies do que a ela

• O marido se sente sozinho porque ninguém gosta de fazer com ele seus programas favoritos

Pergunta: Você tem o hábito de se comparar com outras pessoas? Você carrega alguma ferida que foi resultado de comparação?

NÃO FIQUE DE FORA DA FESTA

A Bíblia chama de amargura uma semente perigosa que é lançada nos corações diante de uma ferida, injustiça ou frustração. Quando essa semente cresce, criando raízes, ela contamina a vida da pessoa e de todos ao redor.

“Cuidem que ninguém se exclua da graça de Deus. Que nenhuma raiz de amargura brote e cause perturbação, contaminando a muitos.” Hebreus 12:15

Quando uma pessoa dá às suas feridas um lugar especial, essa pessoa se torna um reflexo da própria ferida, passando a ver tudo à sua volta dessa maneira, inclusive passando a ver de forma distorcida o próprio relacionamento com Deus.

Uma pessoa adoecida pela comparação e pela busca por reconhecimento acaba perdendo o melhor da festa. Repare que a mágoa impediu o irmão mais velho de se alegrar e de festejar. Além disso, aquele irmão mais velho estava cego e não conseguia mais perceber o amor do Pai por ele.

Pergunta: Você consegue comemorar as vitórias das outras pessoas? Quando alguém perto de você está alegre isso afeta seu sentimento de valor próprio?

MENTALIDADE DE ESCRAVO

A postura do irmão mais velho mostra o outro lado da mesma moeda, chamada de ‘mentalidade de escravo’. O irmão mais novo cometeu erros e queria compensar seus erros diante de Deus trabalhando com escravo. O irmão mais velho demonstra uma atitude muito semelhante.

Ele estava ao longo de muitos anos trabalhando, crendo que seu desempenho o faria ser aceito, reconhecido e aprovado diante de Deus. Sem perceber, muitos cristãos se tornam pesados, religiosos e frios espiritualmente por achar que seu relacionamento com Deus se baseia em mérito.

Pois vocês são salvos pela graça, por meio da fé, e isto não vem de vocês, é dom de Deus; não por obras, para que ninguém se glorie. Efésios 2:8,9

Ninguém tem do que se gloriar diante de Deus. Tanto a nossa salvação quanto a nossa santificação ocorrem pela graça. Uma atitude de gratidão a Deus é o que vai destravar sua vida espiritual e vai te levar a viver um cristianismo vivo, que está baseado no que Deus fez por você e não no que você faz por Ele.

Pergunta: Você tem vivido um cristianismo pesado? Qual sua motivação ao trabalhar para Deus?

O PAI TEM O MELHOR PARA CADA UM

O Pai não olha para nós a partir dos nossos méritos e também não retribui dessa forma. Deus tem o melhor para cada um. Não o melhor que desejamos ou o que merecemos. Deus tem o melhor da parte dEle para nós e Ele provou isso enviando seu filho para morrer em nosso lugar.

“Aquele que não poupou a seu próprio Filho, mas o entregou por todos nós, como não nos dará juntamente com ele, e de graça, todas as coisas?” Romanos 8:32

Compreender o coração do Pai transforma nossa relação com Deus e transforma nosso olhar acerca de como Ele trata as outras pessoas. Essa parábola nos ajuda a compreender que o filho mais novo aprontou de tudo e recebeu o amor do Pai sem merecer. Da mesma forma, o irmão mais velho que foi fiel e dedicado, mas recebeu o amor do Pai também merecer.

Um bom cristão não merece o amor de Deus, tanto quanto um ateu promíscuo. Mesmo sem a gente merecer, Deus não poupou esforços para provar seu amor e deu o que Ele tinha de melhor.

Pergunta: Você reconhece que não é capaz de ser aceito por Deus pelos seus méritos? Seja você alguém que tem se aberto agora para Deus ou seja você um cristão com anos de caminhada, deseja receber hoje o amor do Pai por meio da graça?

REFLEXÕES FINAIS E ORAÇÃO

Nesse contexto de isolamento social, a parábola do filho pródigo nos mostra que tem pessoas hoje sofrendo por não estarem desfrutando o amor de Deus.

• De um lado aqueles que, como o filho mais novo, tem a ilusão de que vão encontrar fora da casa do Pai, em prazeres e projetos terrenos, sua alegria. São pessoas que estão aflitas porque o sentido da sua vida está nas realizações e por causa da crise mundial estão perdidas e sem saber como vai ser.

• Por outro lado, temos aqueles que, como o irmão mais velho, não estão conseguindo confiar na generosidade do Pai. Estão com medo, sem saber se terão o que comer, sem confiar que tudo o que Deus tem está disponível àqueles que são aceitos como filhos pela fé.

Desafie sua célula a pensar nas pessoas que eles conhecem. Dê um tempo para lembrarem dos seus amigos, parentes, vizinhos, etc. Em que situação se encontram as pessoas à sua volta? Você conhece pessoas que não estão participando da festa na casa do Pai?

Separem um momento para orar por essas pessoas.

Fechar Menu