Série - outubro 21, 2020Série O milagre de Belém

Salvos de nós mesmos • 2 a 7 de dezembro

Série - outubro 21, 2020

Salvos de nós mesmos • 2 a 7 de dezembro

INTRODUÇÃO

Nesta série de três estudos, inspirados em trechos do livro “E Tudo começou em Belém”, de Max Lucado, queremos considerar nas nossas células a mensagem que o milagre de Belém nos transmite. Vamos conhecer melhor a história e a pessoa de Jesus, e também compreender as implicações mais fortes de sua missão na terra.

A época do Natal incita perguntas. Sempre alguém vai fazer as perguntas típicas: qual é a importância desse bebê na manjedoura? Quem é ele? O que o nascimento dele tem a ver comigo? Apesar de muitos já terem se acostumado tanto com esta festa a ponto de não perceberem mais a sua importância, e apesar das distrações, da correria e até de alguns incômodos dessa época, precisamos refletir nestas perguntas com a atenção. Porque todas as respostas apontam para Cristo, o Filho de Deus, que se tornou humano, e que sabe o que sentimos e passamos porque esteve por aqui. Ele nasceu em Belém, viveu em Israel e morreu numa cruz. E agora nós temos um salvador, um intercessor e um amigo no céu.

QUEBRA-GELO

Promova uma conversa bem informal sobre esta época do ano. Que lembranças Natal traz? Por que Dezembro é um mês diferente? (Provas, fechamento do balanço anual, aprovação do orçamento para o próximo ano, férias, muita chuva). Volte às perguntas típicas da época de Natal e converse sobre elas com o grupo:

1. Qual é a importância desse bebê na manjedoura?

2. Quem é ele?

3. O que o nascimento dele tem a ver comigo?

Devemos começar prestando um pouco mais de atenção nas palavras que o anjo pronunciou a José:

“Foi assim o nascimento de Jesus Cristo: Maria, sua mãe, estava prometida em casamento a José, mas, antes que se unissem, achou-se grávida pelo Espírito Santo. Por ser José, seu marido, um homem justo, e não querendo expô-la à desonra pública, pretendia anular o casamento secretamente. Mas, depois de ter pensado nisso, apareceu-lhe um anjo do Senhor em sonho e disse: “José, filho de Davi, não tema receber Maria como sua esposa, pois o que nela foi gerado procede do Espírito Santo. Ela dará à luz um filho, e você deverá dar-lhe o nome de Jesus, porque ele salvará o seu povo dos seus pecados”. (Mateus 1:18-21)

Pergunta: Nas palavras do anjo, o que Jesus veio fazer aqui na terra? Como você entende a seguinte frase: “A alma do problema humano é o problema da alma humana”?

1. Entendendo nossa natureza pecaminosa

Todos nós temos um problema de comportamento e uma tendência rebelde. Mas isso não é fácil de se admitir. Você já percebeu que sempre tentamos colocar a culpa do nosso comportamento nos outros? Colocamos a culpa no trânsito, no estado de espírito ruim, nos familiares, no chefe. Mas a Bíblia tem um nome para essa tendência inescapável: pecado. A alma do problema do homem, ou seja, a raiz do problema do homem é a sua natureza pecaminosa. A natureza pecaminosa é a atitude inflexível e autocentrada que diz: “tem que ser do meu jeito”. A natureza pecaminosa está centrada no eu: agradar-se custe o que custar, promover-se, preservar-se, porque o pecado é egoísta.

Eu e você temos uma natureza pecaminosa. Isso significa que, mesmo sob circunstâncias certas, nós faremos a coisa errada. Podemos não queremos fazer, tentaremos não fazer, mas faremos. Por que? Porque temos uma natureza pecaminosa. Nós nascemos com ela. Por isso, nossos pais não precisaram nos ensinar a fazer pirraça; nascemos com esta habilidade. Ninguém nos mostrou como roubar biscoitos; simplesmente já sabíamos fazê-lo. Já nascemos com esta natureza egoísta e rebelde dentro de nós.

Por isso a frase está correta: “A alma do problema humano é o problema da alma humana”. Todos nós viemos ao mundo com uma natureza pecaminosa. E Deus veio ao mundo para levá-la e nos livrar dela.

Pergunta: Comentem juntos a frase “Mesmo sob circunstâncias certas, nós faremos a coisa errada. Podemos não queremos fazer, tentaremos não fazer, mas faremos”. Não é assim mesmo que acontece no dia-a-dia? Você admite esta luta interna? Reconhece sua natureza pecaminosa?

2. Jesus, o único e verdadeiro salvador

Voltando ao nascimento de Jesus, José foi orientado a dar o nome de Jesus ao bebê de Maria, recebendo-o como seu próprio filho. Podemos não ver a conexão entre o nome de Jesus e a frase “salvará o seu povo dos seus pecados”, mas José via, pois estava familiarizado com a língua hebraica. O nome Jesus tem sua origem na palavra hebraica Yeshua, que é uma redução de Yehoshuah, que significa “Yahweh salva”. Quem é Jesus? Deus salva. O que Jesus veio fazer? Deus salva.

Jesus significa “Deus salva”. Então, precisamos entender que Jesus não era apenas um religioso legal, um estudioso de Deus faminto por Deus e focado em Deus, nem um adorador de Deus. Ele era Deus. Não meramente um servo de Deus ou um instrumento de Deus, mas era Deus. O nome dele revela que Deus não apenas cuida, escuta, ajuda e conhece, mas que Deus salva. E, especificamente, salva dos pecados, o maior problema do ser humano. A afirmação do anjo de que “ele salvará o seu povo dos seus pecados” revela que Jesus veio ao mundo para nos salvar, não apenas dos inimigos, dos desafios ou das dificuldades, mas veio para nos salvar dos nossos próprios pecados.

Pergunta: Mas por que Deus veio ao mundo para nos salvar?

3. O plano de Deus para os salvos

Está certo responder que é porque Ele nos ama, como revelado em João 3.16, mas também precisamos entender que é porque Deus tem planos maiores para nós. Ele está recrutando para si mesmo pessoas que povoarão o Céu. E precisamos entender que o Céu é um lugar perfeito e nós somos imperfeitos. Então o que Ele faz? Nos abandona e desiste de nós? Ou então passa a nos tolerar com nossa natureza pecaminosa? Se nos tolerar como somos, significa que Ele vai povoar o Céu com cidadãos rebeldes e egoístas? Se for assim, como o Céu seria o Céu?

A verdade é que Deus tinha um plano maior, anunciado no nascimento de Jesus (“ele salvará o seu povo dos seus pecados”) e explicado pelo Apóstolo Paulo em sua carta aos colossenses:

“Pois foi do agrado de Deus que nele habitasse toda a plenitude, e por meio dele reconciliasse consigo todas as coisas, tanto as que estão na terra quanto as que estão no céu, estabelecendo a paz pelo seu sangue derramado na cruz.” (Colossenses 1:19,20)

Ele deixou que as pessoas o crucificassem pelo amor de Deus. Ele se tornou pecado por nossa causa:

“Deus tornou pecado por nós aquele que não tinha pecado, para que nele nos tornássemos justiça de Deus.” (2 Coríntios 5:21)

O que começou no berço em Belém culminou na cruz em Jerusalém. Tendo pago o castigo pelo pecado, Cristo neutralizou o poder do pecado. Com todos que o recebem com sinceridade e humildade, ele anula os pecados passados e inicia um trabalho de transformação da nossa natureza.  A rebeldia interior diminui e o Cristo interior floresce. Diariamente Deus nos passa de um nível para outro. Nesta vida nunca estaremos sem pecado, mas pelo processo de santificação pecaremos cada vez menos. E quando pecarmos, temos esta certeza: a graça que nos salvou também nos perdoa. Podemos perder a calma, a nossa perspectiva e nosso autocontrole, mas nunca perderemos a nossa esperança. Judas 24 garante que Deus “é poderoso para impedi-los de cair e para apresentá-los diante da sua glória sem mácula e com grande alegria”.

O cristão foi salvo da culpa do pecado, está sendo salvo dos problemas do pecado e, pelo retorno de Cristo, será salvo do castigo de pecado.

CONCLUSÃO

O Natal é a celebração anual que nos lembra que Deus nos deu seu filho Jesus, cujo nome é “Deus salva”! Só Deus salva. Se pudéssemos salvar a nós mesmos, por que precisaríamos de um Salvador? Jesus não veio ao mundo para nos ajudar a nos salvarmos. Ele veio ao mundo para nos salvar de nós mesmos. Nós podemos nos salvar de um acidente, de uma dor de cotovelo, ou de uma falência, ou ainda de ficar sem gasolina, mas não somos bons o bastante para nos salvar do pecado. Você não é forte o bastante para se salvar da morte. Você precisa de um Salvador.

E por causa do milagre do nascimento de Jesus em Belém, agora nós temos um Salvador. E quando você diz sim para Jesus, ele diz sim para você. Ele vai transformar a sua natureza pecaminosa na natureza dele. E depois de tudo, vai morar no Céu.

Que presente maravilhoso Deus nos deu! Você já o recebeu? Já? Então celebre como nunca antes em sua vida o milagre de Belém. Ainda não? Então, com sinceridade e humildade, receba-o agora mesmo, e desfrute por toda a vida o Deus que Salva.

Fechar Menu