Série - outubro 29, 2020Jesus

Oração • 03 a 08 de agosto

Série - outubro 29, 2020

Oração • 03 a 08 de agosto

INTRODUÇÃO

Tem sido incrível acompanhar a vida de Jesus nos encontros da célula e de maneira complementar por meio do plano de leitura Juntos Até o Fim. Aprofundar o conhecimento sobre Jesus é uma decisão capaz de transformar a vida de uma pessoa, levando a um relacionamento genuíno com Deus.

Acabamos de entrar no mês de agosto e teremos oportunidades únicas para fortalecer ainda mais toda essa busca que estamos tendo. Você percebe que algumas pessoas da sua célula ainda não compreenderam claramente quem é Jesus e o que Ele quer fazer em suas vidas? Percebe que alguns estão estagnados e necessitam de um impulso para sair da zona de conforto?

Para ajudar você a movimentar sua célula, estreitando o compromisso de todos com Jesus, preparamos o projeto O Próximo Passo. O seu supervisor está recebendo todas as orientações e em breve o conteúdo deste projeto inspirador vai chegar até você. Se você já está por dentro do Próximo Passo, separe um momento do encontro desta semana para conversar com sua célula sobre o projeto. Caso ainda não tenha recebido as orientações, aguarde, pois em breve acontecerá.

Comece desde já a orar por isso! Aumente sua expectativa! Será algo simples, mas poderoso. Você e sua célula vão experimentar uma revolução na caminhada com Cristo. Uns conhecendo claramente Jesus pela primeira vez. Outros renovando seu compromisso e passando a se importar com as pessoas ao redor. Você e sua célula estão prontos para dar O Próximo Passo?

 

QUEBRA-GELO

Hoje vamos falar sobre oração. Vamos olhar para Jesus para perceber como era a sua vida de oração e o que ele ensinou sobre o tema. Antes disso, desafie os presentes a comentarem os tópicos abaixo:

  • Você tem um testemunho especial de uma oração atendida?
  • Comente uma marca pessoal do seu tempo individual de oração.

 

O EXEMPLO DE JESUS NA ORAÇÃO

Pergunta: Porque Jesus era tão dedicado à sua vida de oração? Você já parou para imaginar o que Jesus fazia em seu tempo secreto com Deus?

Aprendemos na semana passada que Jesus conduziu seu ministério no poder do Espírito Santo e que cada um de nós pode realizar as mesmas obras de Jesus, se estivermos revestidos do mesmo poder. Hoje vamos compreender como Jesus mantinha tão viva e tão acesa sua comunhão com Deus: por meio da oração.

Todavia, as notícias a respeito dele se espalhavam ainda mais, de forma que multidões vinham para ouvi-lo e para serem curadas de suas doenças. Mas Jesus retirava-se para lugares solitários, e orava. Certo dia, quando ele ensinava, estavam sentados ali fariseus e mestres da lei, procedentes de todos os povoados da Galiléia, da Judéia e de Jerusalém. E o poder do Senhor estava com ele para curar os doentes. Lucas 5:15-17

Jesus era um homem cheio do Espírito Santo e cheio de poder porque a sua prioridade era passar tempo no secreto com Deus. Sua prioridade era clara! Jesus nunca negligenciou seu tempo a sós com o Pai. Ele regularmente deixava tudo e todos para estar neste lugar.

Jesus era cheio do Espírito Santo e fluía poderosamente no seu ministério porque estava fortemente conectado a Deus. Ele marcou seus discípulos com este hábito que cultivou tão dedicadamente e a Igreja do primeiro século deu continuidade à prioridade de Jesus na oração, colhendo assim décadas de pleno avivamento.

Pergunta: Considerando a leitura dos evangelhos, você consegue lembrar versos que falam sobre a vida de oração de Jesus? Peça para os presentes citarem alguns destes versos.

Peça para cada um dos presentes abrir um dos seguintes versos: Lucas 6:12,13 / Lucas 9:28,29 / Marcos 1:35 / Marcos 6:46 / Mateus 14:23.

Os versos lidos registram apenas algumas orações de Jesus e alguns dos momentos em que ele se retirava para o lugar secreto. A bíblia relata que Jesus era tão ocupado que muitas vezes não tinha tempo para comer ou para dormir. Mas mesmo assim a oração era sua prioridade. Ele não negociava por nada este lugar secreto.

Pergunta: Quais desculpas você geralmente usa para não orar?

Talvez você não tenha um monte perto da sua casa, onde possa subir para orar. Entretanto, o exemplo de Jesus fala muito forte ainda hoje. Pense sobre isso. Defina em sua rotina as suas prioridades e decida separar um tempo diário para estar no secreto com Deus.

Façam como célula um compromisso de prioridade na oração. Combinem de ajudar uns aos outros e separe um tempo nas próximas semanas para cada um compartilhar as dificuldades e também os testemunhos de oração.

 

O ENSINO DE JESUS SOBRE A ORAÇÃO

Além de ser um exemplo impecável e a maior inspiração para a nossa vida de oração, Jesus também ensinou sobre a oração. Ele trouxe princípios fundamentais que podem mudar a nossa maneira de orar.

“E quando vocês orarem, não sejam como os hipócritas. Eles gostam de ficar orando em pé nas sinagogas e nas esquinas, a fim de serem vistos pelos outros. Eu lhes asseguro que eles já receberam sua plena recompensa. Mas quando você orar, vá para seu quarto, feche a porta e ore a seu Pai, que está no secreto. Então seu Pai, que vê no secreto, o recompensará. E quando orarem, não fiquem sempre repetindo a mesma coisa, como fazem os pagãos. Eles pensam que por muito falarem serão ouvidos. Não sejam iguais a eles, porque o seu Pai sabe do que vocês precisam, antes mesmo de o pedirem. Mateus 6: 5-8

  1. QUANDO vocês orarem: Jesus não diz SE vocês orarem. Ele está dizendo que se você é discípulo dele, então, com certeza, a oração faz parte da sua vida. Um discípulo de Jesus ora para seguir o exemplo do seu mestre. Um discípulo de Jesus ora porque ama passar tempo na presença de Deus.
  2. Não sejam como os hipócritas: antes de orar, precisamos parar para refletir sobre a nossa motivação. Se a nossa intenção é parecermos espirituais e se estamos buscando status entre as pessoas, nossa oração não receberá recompensa celestial, mas apenas terrena.
  3. Vá para o seu quarto: o lugar secreto é o melhor ambiente para cultivar sua vida de oração. É na intimidade com Deus que você poderá derramar seu coração e poderá ouvir a voz de Deus com clareza. Você pode sim orar em público, dentro de sua casa, trabalho, célula e até mesmo na igreja, mas pense na seguinte pergunta: a maior parte das minhas orações são feitas em público ou no secreto?
  4. Não fiquem sempre repetindo a mesma coisa: cuidado para não entrar no piloto automático. Muitas vezes fazemos orações superficiais e repetitivas, sem refletir no que estamos orando e sem conectar de fato nosso coração a Deus. Quanto mais sincera e natural for a oração, maior será sua efetividade.

 

O MODELO DO PAI NOSSO

Com base nas orientações preliminares de Jesus, percebemos que a oração não deve ser repetitiva, superficial e vazia de sentido. Sendo assim, como compreender a oração do Pai Nosso ensinada por ele?

Devemos orar para ela como um modelo; uma referência a ser seguida. A proposta de Jesus não é que a gente repita exatamente as suas palavras quando formos orar a Deus, mas devemos extrair da estrutura do Pai Nosso alguns princípios para o nosso tempo devocional.

Vocês, orem assim: ‘Pai nosso, que estás nos céus! Santificado seja o teu nome. Venha o teu Reino; seja feita a tua vontade, assim na terra como no céu. Dá-nos hoje o nosso pão de cada dia. Perdoa as nossas dívidas, assim como perdoamos aos nossos devedores. E não nos deixes cair em tentação, mas livra-nos do mal, porque teu é o Reino, o poder e a glória para sempre. Amém’. Mateus 6: 9-13

  1. Adoração: quando for para o seu quarto orar, dedique-se a adoração. Reconheça quem Deus é para você. Exalte os atributos de Deus. Agradeça por tudo o que ele tem feito em sua vida.
  2. Submissão: reconheça quem é o Deus da relação. Não chegue na presença de Deus querendo dar ordens a Deus ou insistindo para que ele faça a sua vontade. Ao contrário, submeta sua vida a Deus, abra mão das suas próprias vontades e renda-se ao governo de Deus sobre você e suas decisões.
  3. Petição: apresente seus pedidos a Deus. Procure não ficar repetindo os mesmos pedidos, mas derrame seu coração contando para o seu Pai o que realmente está te incomodando e como você se sente. Apresente seus medos e suas ansiedades a Deus.
  4. Perdão: peça perdão pelos seus pecados. Reconheça que é pecador e que precisa da graça de Deus. Peça ajuda para enfrentar as dificuldades em seus relacionamentos e para liberar perdão para quem te ofendeu. Não deixe que nenhuma mágoa machuque você ou as pessoas a sua volta. Deus quer te ajudar a perdoar.
  5. Proteção: coloque diante de Deus as áreas de risco. Clame para Deus te proteger de você mesmo, ajudando-o a não ser dominado pelas paixões e cobiças terrenas. Peça também para Deus te proteger dos riscos externos e das situações de perigo que você enfrenta no dia a dia.
  6. Gratidão: finalize seu momento de oração agradecendo. Pela fé reconheça que Deus ouviu suas orações, que Deus se importa com você e que os planos dele são os melhores. Agradeça de antemão, sabendo que a resposta de Deus às suas orações será a melhor, independente de qual será essa resposta.

 

REFLEXÕES E DESAFIOS

  1. O que você aprendeu hoje sobre a oração?
  2. Qual atitude diferente você terá a partir de hoje em sua forma de se conectar a Deus?
  3. Qual compromisso você assume diante de Deus hoje?
Fechar Menu