Série - outubro 26, 2020Descubra o seu propósito

O poder da decisão de focar nos relacionamentos • 16 a 21 de março

Série - outubro 26, 2020

O poder da decisão de focar nos relacionamentos • 16 a 21 de março

Nas últimas duas semanas tratamos sobre algumas das mais importantes decisões da nossa vida. Como foi dito no início desta série, estamos abordando este tema porque tomar boas decisões é fundamental para uma vida abençoada e feliz. O nosso futuro será definido por escolhas e decisões que tomarmos hoje.

Vimos que seguir a Cristo significa dar a vida por Ele e pela causa do Evangelho: este é o convite de Jesus. Precisamos que a nossa vida seja guiada e dirigida somente pelos propósitos de Deus.

Quebra-gelo

Reúna seu grupo e planeje uma maneira descontraída para as pessoas se apresentarem ou contarem algo que elas estejam passando. Em seguida peça para cada um responder à pergunta abaixo:

• O que eu mais valorizo na vida?

• Depois que todos responderem, faça uma segunda pergunta:

Na minha agenda semanal, em quais horários eu dedico tempo regularmente para o que mais valorizo?

INTRODUÇÃO

Muitas pessoas, ao fazerem uma lista de valores, falam sobre o que é mais importante em sua vida: Deus, família, amigos. Na teoria isso é verdade, mas na rotina muitas vezes não conseguimos nos dedicar àquilo que consideramos fundamental.

É muito comum haver uma contradição nas respostas às duas perguntas sobre as quais conversamos no quebra-gelo. É muito comum as pessoas considerarem um grande valor aspectos da sua vida que, na prática, não fazem parte das suas prioridades. Ou seja, é muito importante, considero um valor, mas na minha agenda diária não invisto tempo nisso.

Veremos que os princípios que nos orientam sobre relacionamentos são princípios fundamentais, espirituais e eternos.  Estes princípios falam de um relacionamento vertical, nosso com Deus e de um relacionamento horizontal, nosso com o nosso próximo, pois Deus não criou o homem para viverem sozinhos.

1. O aspecto relacional de Deus

Observe o relato da criação:

Então disse Deus: “Façamos o homem à nossa imagem, conforme a nossa semelhança. Domine ele sobre os peixes do mar, sobre as aves do céu, sobre os animais grandes de toda a terra e sobre todos os pequenos animais que se movem rente ao chão”. Criou Deus o homem à sua imagem, à imagem de Deus o criou; homem e mulher os criou. Deus os abençoou, e lhes disse: “Sejam férteis e multipliquem-se! Encham e subjuguem a terra! Dominem sobre os peixes do mar, sobre as aves do céu e sobre todos os animais que se movem pela terra”. Gênesis 1:26-28

Ao longo de todo o relato da criação, no capítulo 1 de Gênesis, o verbo utilizado está na primeira pessoa do singular. No verso 26, há uma mudança para a primeira pessoa do plural, indicando que toda a Trindade estava envolvida na criação do homem – verbo destacado: façamos.

Esse verso nos revela que Deus tem uma natureza relacional e comunitária, pois as três pessoas da Trindade (Pai, Filho e Espírito Santo) vivem em perfeita harmonia, interagindo entre si. O texto lido mostra que toda a Trindade estava envolvida na criação do homem e da mulher, diferente da criação dos animais e dos demais aspectos do universo.

João, ao descrever a natureza de Deus, afirma que Ele é amor. Agostinho, estudando o texto de João, raciocina que: o amor envolve uma pessoa que ama (Pai), alguém que é amado (Filho) e um espírito de amor entre o que ama e o que é amado. Se Deus fosse unipessoal, sem a existência da Trindade, então não haveria amor até Ele ter criado alguém, pois o amor é relacional em sua essência.

Pergunta: Você já se sentiu sozinho? Já se sentiu longe de Deus e longe das pessoas? Como você está hoje?

2) O aspecto relacional da humanidade            

Desde o princípio da criação vemos que Deus não se agradou da solidão do homem:

Então o Senhor Deus declarou: “Não é bom que o homem esteja só; farei para ele alguém que o auxilie e lhe corresponda”. Gênesis 2:18

Ao criar a humanidade à sua imagem e semelhança, Deus transferiu para as pessoas sua natureza relacional, de forma que os seres humanos passaram a carregar a habilidade de se relacionar. Mais do que uma habilidade de se relacionar, a humanidade carrega uma essência relacional, assim como a natureza divina, de forma que, quando um ser humano está desconectado de relacionamentos genuínos, ele sente que algo está faltando e se vê tomado de solidão, que é um dos sentimentos mais difíceis para uma pessoa.

Pergunta: Você já tomou decisões na sua vida apenas focado em benefício próprio? E quais foram as consequências? Como você avalia que está o seu relacionamento com Deus e com as pessoas à sua volta?

3) Os valores de Jesus            

O evangelho de Mateus narra certa ocasião em que um perito na lei colocou Jesus à prova perguntando:

“Mestre, qual é o maior mandamento da Lei?” Respondeu Jesus: “Ame o Senhor, o seu Deus de todo o seu coração, de toda a sua alma e de todo o seu entendimento. Este é o maior e primeiro mandamento. E o segundo é semelhante a ele: ‘Ame o seu próximo como a si mesmo’ – Mt 22:36-39

Se voltarmos aos 10 mandamentos, que são a principal declaração da lei divina, vemos que os quatro primeiros mandamentos dizem respeito ao nosso relacionamento com Deus e os seis mandamentos seguintes trazem ordenanças acerca do nosso relacionamento com as pessoas. O amor é a base de tudo, é o fruto principal do Espírito (Gálatas 5:23) e o dom supremo (1 Coríntios 13). Jesus e os seus discípulos valorizam o amor nas suas pregações, no seu ensino e em seus diálogos.

Pergunta: Há alguma possibilidade de amarmos a quem não conhecemos e não nos relacionamos?

Para amar a Deus temos que conhecê-lo, buscar com todas as nossas forças, todo nosso entendimento e todo nosso coração. Para amar as pessoas temos que estar abertos, vencer nosso egoísmo e entender que a humanidade foi projetada por Deus para se conectar com o seu semelhante.

Viver igreja é se relacionar com as pessoas, mas muitos simplesmente são indiferentes a isso. Indiferença é o contrário do amor. O contrário do amor não é ódio, é a indiferença. O que difere a religião da verdadeira Igreja de Cristo é o relacionamento, vida na vida.

Pergunta: Quais decisões você pode tomar hoje, de forma estabelecer um relacionamento genuíno com Deus? A partir de um relacionamento com Deus, como intensificar seu relacionamento com as pessoas?

4) A agenda de Jesus            

No entanto quando ouviu falar que Lázaro estava doente, ficou mais dois dias onde estava. Depois disse aos seus discípulos: “Vamos voltar para a Judeia”. (João 11:06-07)

Jesus valorizava o amor e a sua agenda era coerente com seus valores. Não observamos Jesus ter um discurso bonito sobre o amor e, na prática, viver prioridades diferentes, o que, infelizmente, é muito comum entre as pessoas. Jesus falava e vivia o amor. Todo o tempo que Jesus tinha ele investia em seu relacionamento com Deus e em seu relacionamento com as pessoas.

Jesus escolhe homens comuns para caminhar e se relacionar com eles, de maneira a transformá-los em verdadeiros discípulos. Isso implica em escolher, caminhar, amar e se relacionar com cada um deles por um período de tempo.

A partir da decisão de seguir a Jesus e passar a ter um relacionamento diário com Jesus, aqueles homens comuns passaram a aprender no dia a dia com o Senhor. Ao sermos transformados pelo relacionamento diário com Jesus, as pessoas com as quais nos relacionamos serão poderosamente impactadas e transformadas.

Muitas pessoas não falam de Jesus para os outros porque realmente não conhecem a Jesus. Nós falamos de um Jesus que nós conhecemos e quando temos um relacionamento de intimidade com Jesus, vamos proclamar um evangelho que é o próprio Jesus.

Jesus levou sua decisão de amar a humanidade até as últimas consequências, quando morreu na cruz para poder perdoar os nossos pecados. Essa foi a maior atitude de amor prático já registrada, por meio da qual podemos receber pela fé nossa salvação e a santificação das nossas vidas.

Pergunta: Você verdadeiramente decidiu ter um relacionamento com Jesus? Você crê que seus pecados foram perdoados por meio do sacrifício de Jesus na cruz?                                                                                                                             

DESAFIO

Pergunta: Você entende que poderá se relacionar com as pessoas de maneira a impactar a eternidade de cada uma delas? Você tem se relacionado com as pessoas que estão no seu cartão do EU+1?

A vontade de Deus é manifesta através da vinda de Jesus que se relacionou com pessoas e ordenou aos seus discípulos que dessem continuidade ao plano divino de proclamar o evangelho. Tomar a decisão em focar nos relacionamentos é dar atenção especial às vidas que Deus tem colocado diante de você nos vários ambientes do seu dia a dia, e realmente fazer a diferença na vida delas.

A maioria das pessoas são alcançadas pelo evangelho por meio de relacionamentos com cristãos. A Central vai alcançar 12.000 vidas, pois cremos que cada crente é um ministro e vai alcançar pelo menos uma pessoa em 2020. Envolva-se neste poderoso movimento chamado EU+1! Ouse, ore, jejue, alcance e celebre.

Para essa semana temos um desafio prático: entrar em contato e marcar um encontro com pelo menos uma pessoa que está anotada em seu cartão do EU+1. Você não precisa, necessariamente, fazer uma pregação intencional para ela nesta semana, mas o seu principal objetivo é passar um tempo de qualidade com essa pessoa.

ORAÇÃO

Conduza sua célula em um período de oração pelos pontos destacados a seguir:

• Pergunte se alguém decide hoje se relacionar com Jesus e ore por essas pessoas

• Invistam como célula um tempo de oração pelas pessoas contidas nos cartões do EU+1

Fechar Menu