Série - julho 04, 2022

O itinerário do perdão na vida de Davi • 21 a 26 de Fevereiro

 

Querido líder, recebemos a orientação de Deus de que 2022 será o ano do avivamento na Central. Temos buscado muito a presença de Deus e um mover muito claro do Espírito Santo está sendo gerado: é tempo de nos quebrantarmos e nos arrependermos dos nossos pecados.

Toda essa busca por avivamento tem gerado um crescente temor a Deus em nossos corações, tem exposto pecados à luz e nos curado de dentro para fora.

Por isso, estamos trabalhando esse tema tão importante e alinhado com a direção do Espírito Santo para a Central. Semana passada tratamos sobre o processo do pecado em nossas vidas. Hoje vamos conversar sobre o itinerário do perdão, trazendo uma visão completa do tema e um tempo de profunda restauração para todos.

Aproveite o encontro de hoje para ministrar o perdão de Deus sobre cada um dos presentes. Que o favor imerecido do Senhor seja derramado sobre a sua célula. Que toda culpa e acusação sejam removidos e o seu grupo se levante para um tempo de santidade, liberdade e intimidade com Deus.

Atenção às seguintes dicas:

●      Recomendamos às células mistas que separem os participantes em dois grupos homogêneos (homens e mulheres) na hora do ensino.

●      Delegue os diversos momentos da reunião (boas-vindas, recepção dos visitantes, quebra-gelo, adoração, oração, etc.), de forma a envolver o maior número possível de pessoas.

●      Promova um momento especial de oração e adoração.

●      Ao final, lance desafios práticos para que todos consigam aplicar a palavra às suas vidas.

●      Fique atento aos avisos e envolva a sua célula nos cultos e atividades da Central.

 

 

INTRODUÇÃO

 

No encontro de célula anterior, vimos que o itinerário do pecado termina com o endurecimento do coração de Davi. Entretanto, esse não é o fim da história. Deus não deixou Davi entregue ao pecado. Há um outro itinerário, que é de volta para Deus, o caminho do arrependimento e do perdão. O capítulo 11 de 2 Samuel termina com um “mas” que mostra que Deus havia visto tudo o que Davi fizera e que não estava satisfeito com isso (“Mas o que Davi fez desagradou ao Senhor”, v.27). E 2 Samuel 12 começa com Deus tomando uma atitude motivada por essa insatisfação. Ele envia o profeta Natã até Davi para livrá-lo do pecado e levá-lo ao perdão.

 

Texto-base: 2 Samuel 12.1-25

 

O itinerário do perdão na vida de Davi é composto também por alguns passos. São eles:

 

  1. Confronto e exposição do pecado

 

E o Senhor enviou a Davi o profeta Natã. Ao chegar, ele disse a Davi: “Dois homens viviam numa cidade, um era rico e o outro, pobre. O rico possuía muitas ovelhas e bois, mas o pobre nada tinha, senão uma cordeirinha que havia comprado. Ele a criou, e ela cresceu com ele e com seus filhos. Ela comia junto dele, bebia do seu copo e até dormia em seus braços. Era como uma filha para ele. “Certo dia, um viajante chegou à casa do rico, e este não quis pegar uma de suas próprias ovelhas ou do seus bois para preparar-lhe uma refeição. Em vez disso, preparou para o visitante a cordeira que pertencia ao pobre”. Então, Davi encheu-se de ira contra o homem e disse a Natã: “Juro pelo nome do Senhor que o homem que fez isso merece a morte! Deverá pagar quatro vezes o preço da cordeira, porquanto agiu sem misericórdia”. Então Natã disse a Davi: “Você é esse homem! Assim diz o Senhor, o Deus de Israel: ‘Eu o ungi rei de Israel, e livrei-o das mãos de Saul. Dei-lhe a casa e as mulheres do seu senhor. Dei-lhe a nação de Israel e Judá. E, se tudo isso não fosse suficiente, eu lhe teria dado mais ainda. Por que você desprezou a palavra do Senhor, fazendo o que ele reprova? Você matou Urias, o hitita, com a espada dos amonitas e ficou com a mulher dele. 2 Samuel 12:1-9.

 

Para ser livre da situação em que se encontrava (uma mente cauterizada e um coração endurecido), Davi necessitava de uma forte intervenção da parte de Deus. Foi o que aconteceu. Deus enviou Natã à presença do rei para confrontá-lo e expor o seu pecado. O profeta contou-lhe uma história e Davi ficou tão enfurecido com a atitude do homem rico que disse a Natã: “Juro pelo nome do Senhor que o homem que fez isso merece a morte! Deverá pagar quatro vezes o preço da cordeira, porquanto agiu sem misericórdia”. 2 Samuel 12:5,6. O profeta aproveitou a indignação do rei e corajosamente lançou diante de seus olhos os pecados que havia cometido. “Você agiu como o homem rico da história. Mesmo tendo tudo em abundância, não se deu por satisfeito e, ao invés de pedir algo mais a Deus, matou Urias e tomou sua mulher por esposa”. O primeiro passo do itinerário do perdão é duro e doloroso. É um confronto que visa o quebrantamento.

 

  1. Davi ficou enfurecido com o que o homem rico da história havia feito, por não ter se compadecido do homem pobre. Ele, entretanto, havia feito o mesmo com Urias, o que mostra o quanto estava cego em relação aos seus pecados. Jesus, em Mt 7.1-5, adverte quanto ao julgar os outros e não reconhecer os próprios erros. Pense: você tem se indignado com os pecados de outras pessoas e não tem percebido e assumido os seus erros, os quais podem ser iguais ou maiores?
  2. Qual é sua reação quando seu pecado é exposto diante de seus olhos?
  3. Como você reage quando é confrontado em suas atitudes?

 

  1. Apontamento das conseqüências

 

Por isso, a espada nunca se afastará de sua família, pois você me desprezou e tomou a mulher de Urias, o hitita, para ser sua mulher’. “Assim diz o Senhor: ‘De sua própria família trarei desgraça sobre você. Tomarei as suas mulheres diante dos seus próprios olhos e as darei a outro; e ele se deitará com elas em plena luz do dia. Você fez isso às escondidas, mas eu o farei diante de todo o Israel, em plena luz do dia’ “. 2 Samuel 12:10-12

 

O segundo passo deste itinerário também visa o quebrantamento. Ao apontar as conseqüências dos pecados de Davi, o objetivo do Senhor, além de ensinar que tudo o que é plantado é colhido (cf. Gl 6.7,8), era suscitar nele um clamor por perdão e misericórdia. Ao ouvir o que sofreria por não ter obedecido à palavra do Senhor, mas ter andado conforme o seu próprio coração, Davi ficaria desesperado e um forte sentimento de dependência de Deus brotaria em sua alma. Isso o aproximaria novamente do Senhor e abriria as portas para a sua restauração.

 

  1. Pense: será que o Senhor não tem tentado quebrantar o seu coração quanto a alguma situação em sua vida e, assim, reaproximá-lo dele?

 

  1. Arrependimento e confissão

 

Então Davi disse a Natã: Pequei contra o Senhor (v.13).

 

O terceiro passo é o grande alvo dos dois primeiros passos. Após ouvir do Senhor, através do profeta Natã, os pecados que tinha cometido e as consequências que sofreria por isso, o coração de Davi foi quebrantado e ele confessou arrependido: “Pequei contra o Senhor”. Ele reconheceu que havia pecado no que fizera, e que contra o Senhor havia pecado. O Salmo 51 apresenta a oração completa feita por Davi nessa ocasião. Profundamente entristecido, o rei se humilhou e rasgou o seu coração diante de Deus. No Salmo 139.23,24, Davi pede para Deus sondar o seu coração e ver se há nele algum caminho mal. Em Romanos 2.4, está escrito que a bondade de Deus é que nos conduz ao arrependimento. E em Pv 28:13, vemos que a bênção está em nunca encobrir as transgressões.

 

  1. Ore a Deus e peça ao Espírito Santo para sondar o seu coração, te mostrar os pecados que você tem cometido e levá-lo ao arrependimento e à confissão. Tendo os seus pecados em mente, junte-se a Davi e faça a oração que está no Salmo 51.

 

  1. Perdão e misericórdia

 

E Natã respondeu: “O Senhor perdoou o seu pecado. Você não morrerá. Entretanto, uma vez que você insultou o Senhor, o menino morrerá”. 2 Samuel 12:13,14

 

Arrependendo-se e confessando o seu pecado, Davi abriu caminho em sua vida para o perdão e a misericórdia de Deus. Logo após a confissão, o profeta Natã disse ao rei: “O Senhor perdoou o seu pecado”. Em 1 João 1.9, a Bíblia diz que “Se confessarmos os nossos pecados, ele é fiel e justo para perdoar os nossos pecados e nos purificar de toda injustiça.”. O Senhor, porém, não apenas perdoou o pecado de Davi, mas também lhe demonstrou misericórdia. Natã também lhe disse: “Você não morrerá”. Deus demonstra a nós misericórdia quando não nos dá aquilo que merecemos. Por causa do adultério e do assassinato, segundo a lei de Moisés, Davi deveria ser morto. A misericórdia de Deus, todavia, o livra desse castigo. Não anula, entretanto, a sua justiça e as consequências do pecado. A criança gerada no adultério morreria.

 

  1. No Salmo 32, Davi fala a respeito daquele que recebe o perdão. Leia-o e medite sobre ele.
  2. A Bíblia fala, em Apocalipse 12.10, sobre um acusador que nos acusa de dia e de noite diante de Deus. Após a confissão do seu pecado, creia no perdão de Deus e não aceite qualquer acusação do diabo em seu coração quanto ao que foi feito. Em Miquéias 7.18,19, está escrito que o Senhor se esquece da transgressão e lançará todos os nossos pecados nas profundezas do mar.

 

  1. Restauração e graça

 

Então, Davi veio a Bate-Seba, consolou-a e se deitou com ela; teve ela um filho a quem Davi deu o nome de Salomão; e o Senhor o amou. Davi o entregou nas mãos do profeta Natã, e este lhe chamou Jedidias, por amor do Senhor (vv.24,25).

 

Encerrando este itinerário, está algo que prova que o Senhor é rico em bondade para conosco e que ele vai muito além de nossas expectativas. Após a morte do filho concebido no pecado, Davi se deitou com Bate-Seba e ela lhe deu um outro filho, o qual recebeu o nome de Salomão. Esse filho teve um destino diferente do primeiro. O Senhor o amou. Davi o levou até Natã e este o chamou de Jedidias, que significa o amado do Senhor. A vida de Davi foi completamente restaurada. Da mesma mulher com quem havia adulterado nasceu um filho que foi alvo do amor de Deus. A graça superabundou onde havia abundado o pecado (cf. Rm 5.20). Esse mesmo filho viria a ser o futuro rei de Israel (cf. 1 Rs 1.32-40) e ascendente do Messias que haveria de vir, Jesus de Nazaré, o Filho de Deus (cf. Mt 1.6,7). Se misericórdia é não recebermos aquilo que merecemos, graça é recebermos de Deus aquilo que não merecemos.

 

Conclusão:

 

Deus não permitiu que o último passo do itinerário do pecado determinasse o final da história. Ele interveio na situação de modo que Davi chegasse à restauração e à graça. Esse é o fim que Ele tem para todas as tramas marcadas pelo pecado. Deus não nos abandona no poço do pecado, mas nos busca com cordas de amor. Davi não foi um homem segundo o coração de Deus por nunca ter pecado, mas por ter um coração contrito e quebrantado diante do seu Deus.

 

Desafios:

 

  1. Não resista ao Espírito Santo. Permita que ele quebrante o seu coração.
  2. Arrependa-se e confesse os seus pecados ao Senhor; não os esconda.
  3. Creia no perdão e na restauração que o Senhor lhe proporcionará.