Série - outubro 24, 2020Série O milagre de Belém

Louvor de presente • 9 a 14 de dezembro

Série - outubro 24, 2020

Louvor de presente • 9 a 14 de dezembro

INTRODUÇÃO

Natal e presentes sempre estiveram associados e há um bom motivo para isso. Os magos ofereceram a Jesus ouro, incenso e mirra como presentes. Os pastores ofereceram uma visita à jovem mãe e seu recém-nascido. E até Maria, se pensarmos bem, tinha oferecido seu ventre para que Jesus pudesse vir ao mundo. Foram presentes muito úteis e preciosos. Com o tesouro dado pelos magos os pais de Jesus puderam financiar a fuga para o Egito.  A visita dos pastores confortou os pais, trouxe confirmação, encorajamento  e fez companhia aos pais de primeira viagem.  E o ventre de Maria protegeu a criança em sua gestação. Mas há um presente que pode parecer um tanto curioso. Qual foi?

QUEBRA-GELO

Você já recebeu um presente de Natal curioso? Já recebeu ou ofereceu um presente bem diferente? Compartilhe suas experiências com presentes de Natal. Talvez algo engraçado, diferente ou até meio constrangedor.

INTRODUÇÃO

Nesta série de três estudos, inspirados em trechos do imperdível livro de Max Lucado, “E Tudo começou em Belém”, queremos considerar nas nossas células a mensagem que o milagre de Belém nos transmite. Vamos conhecer melhor a história e a pessoa de Jesus, e também compreender as implicações mais fortes de sua missão na terra.

Veja o presente curioso que os anjos ofereceram a Jesus recém-nascido:

“Havia pastores que estavam nos campos próximos e durante a noite tomavam conta dos seus rebanhos. E aconteceu que um anjo do Senhor apareceu-lhes e a glória do Senhor resplandeceu ao redor deles; e ficaram aterrorizados. Mas o anjo lhes disse: “Não tenham medo. Estou lhes trazendo boas novas de grande alegria, que são para todo o povo: Hoje, na cidade de Davi, lhes nasceu o Salvador que é Cristo, o Senhor. Isto lhes servirá de sinal: encontrarão o bebê envolto em panos e deitado numa manjedoura”. De repente, uma grande multidão do exército celestial apareceu com o anjo, louvando a Deus e dizendo: “Glória a Deus nas alturas, e paz na terra aos homens aos quais ele concede o seu favor”. Quando os anjos os deixaram e foram para o céu, os pastores disseram uns aos outros: “Vamos a Belém, e vejamos isso que aconteceu, e que o Senhor nos deu a conhecer”. (Lucas 2.8-15)

Pergunta: Quando uma grande multidão de anjos apareceu, o que eles fizeram?

Os anjos encheram a noite com luz e música, e louvaram a Deus. Poderiam ter trazido uma cama ou um aquecedor para Maria. Poderiam conseguir um berço bonito e confortável para o bebê, ou até escoltado a família de volta para Nazaré. Mas eles só louvaram. Como seres a serviço de Deus, será que eles não poderiam ter feito algo mais útil? Mas eles eram anjos, e quem conhecia Jesus melhor do que eles? Aqueles que conheciam Jesus melhor, o amavam ainda mais. Aqueles que já o serviam por mais tempo ofereceram a ele o melhor presente: deram a ele louvor. Colocaram o amor deles numa linda embalagem para presentes e o ofereceram a Jesus.

E eles nos ensinam o que é louvar. Louvor é o melhor presente que podemos dar a Jesus. Louvor acontece toda vez que você volta o coração para o Céu e diz: “Deus, você é valioso, é mais precioso do que tudo o que há”. Os anjos sabiam que Jesus era o Filho Bendito de Deus, o Rei do universo e, por saberem disso, os anjos deram louvor de presente para o recém-nascido.

Deus está à procura daqueles que vão imitar os anjos, das pessoas que vão abrir o coração e a boca para louvar: “Glória a Deus nas alturas!” São estes os adoradores que o Pai procura (João 4.23).

Pergunta: Em sua opinião, o que é louvor?

Louvor no dicionário em português é: celebração, manifestação honrosa, homenagem. No grego e no hebraico têm significados similares: elogiar, agradecer, oferta de gratidão, adorar, dar honra. Sacrifício de louvor para um judeu era um ato do culto muito importante, considerado indispensável, que podia ser de gratidão ou ação de graças, de expiação pelos pecados, no qual se pede o perdão de Deus, de reconciliação com Deus ou de purificação. Sacrifício de louvor, portanto, é um ato contínuo de gratidão e elogios ao Senhor, podendo ser expresso por meio dos lábios e todo tipo de linguagem corporal, como libras, danças, gestos e movimentos.

Se já conhecemos a Jesus como nosso Senhor e Salvador, para o nosso próprio bem, devemos fazer o que os anjos fizeram: louvar e sempre dar honra à chegada do Rei.

Pergunta: Como devemos louvar a Deus?

1. Devemos louvar verbalmente.

Hebreus 13.15 diz: “Por meio de Jesus, portanto, ofereçamos continuamente a Deus um sacrifício de louvor, que é fruto de lábios que confessam o seu nome”. Deus quer ouvir o nosso afeto, porque “a boca fala do que o coração está cheio” (Mateus 12.34). Você ama a Deus? Permita que ele saiba. Diga a ele, em voz alta! Em público, sem ficar com vergonha. Permita que haja júbilo, aclamação e alegria. Salmos 47.1 diz: “Batam palmas, vocês, todos os povos; aclamem a Deus com cantos de alegria”. E Salmos 66.1 diz: “Aclamem a Deus, povos de toda a terra”.

Além de agradar a Deus, o louvor é poderosa arma contra Satanás. Ele não pode tolerar o louvor centrado em Deus. Só que ele não é onisciente, e não pode ler a sua mente, e só é movido pelo que você diz, não pelo que pensa. Então declare os louvores em voz alta e Satanás fugirá de você. Está escrito: “Resistam ao Diabo, e ele fugirá de vocês. Aproximem-se de Deus, e ele se aproximará de vocês” (Tiago 4.7-8). Quer que sua casa se livre do mal? Louve! Quer que a sua cidade fique livre das garras de Satanás? Louve! Quer que o Brasil seja um lugar de paz e prosperidade? Então, deixe que a igreja ataque as fortalezas de satanás com louvor de júbilo. Louve verbalmente.

2. Devemos louvar em comunidade .

“De repente, uma grande multidão do exército celestial apareceu com o anjo, louvando a Deus” (Lucas 2.13). A presença de Cristo merece um coro exultante. Algo acontece no louvor coletivo que não acontece no louvor em particular. Mas infelizmente, há muito que não entendem isso ainda. São cristãos do tipo “Cristo sim, igreja não”. Por várias razões essas pessoas deixam de frequentar a igreja, o que resulta numa grande perda para elas e para a igreja delas. Por isso, o autor de Hebreus alerta: “Não deixemos de reunir-nos como igreja, segundo o costume de alguns, mas procuremos encorajar-nos uns aos outros, ainda mais quando vocês veem que se aproxima o Dia” (Hebreus 10.25).

3. Devemos louvar por meio de demonstração.

Podemos deixar que nosso corpo expresse o que nosso coração está sentindo, e deixar o coração ser despertado por seu corpo. “Seja a minha oração como incenso diante de ti, e o levantar das minhas mãos, como oferta da tarde” (Salmos 141.2). “O teu amor é melhor do que a vida! Por isso os meus lábios te exaltarão. Enquanto eu viver te bendirei, e em teu nome levantarei as minhas mãos” (Salmos 63.3-4). Manifestações visíveis de louvor devem ser usadas, erguendo as mãos, batendo palmas, ajoelhando-se ou até se prostrando sobre o rosto. Algo poderoso acontece quando louvamos.

CONCLUSÃO

Neste Natal, ofereça a Jesus o presente que os anjos lhe deram: dê louvor de presente. Mesmo não sendo um anjo de verdade, vista sua túnica branca da graça que te purifica de todo pecado, eleve-se do chão e das situações adversas com as asas da fé, e ocupe o seu lugar no coro celestial para cantar: “Glória a Deus nas alturas”. Faça isso neste Natal, e faça isso por toda a sua vida. Porque louvor, gratidão e adoração são estilo de vida de quem já conheceu Jesus e sabe bem quem e como ele é. É  louvor que nos coloca acima dos problemas e mais perto daquele que está assentado na sala de comando do universo.

Fechar Menu