Série - outubro 24, 2020

Família da Fé • 22 a 27 de junho

Série - outubro 24, 2020

Família da Fé • 22 a 27 de junho

INTRODUÇÃO

Vivemos nas últimas semanas um período extraordinário na vida da Central e das nossas células. Em um momento tão desafiador que nosso planeta está atravessando, pudemos espalhar esperança, cura e apoio às pessoas. Somando as duas fases da campanha – Campanha de Vacinação e Promoção da Saúde – foram dois meses intensos de muita dedicação de cada líder e líder em treinamento. Agora chegou a hora de finalizar esse ciclo e celebrar tudo o que Deus operou.

Essa última semana do mês de junho é também a última semana do calendário celular da Central. No próximo domingo faremos nossa Festa de Multiplicação nos dois cultos (manhã e noite). Serão dois cultos muito especiais e festivos com palavras de super convidados, consagração dos novos líderes e momentos marcantes.

Envolva toda a sua célula para participar com a gente destes cultos para celebrarmos o fechamento deste ano celular que foi tão surpreendente. Vamos agradecer a Deus por tudo o que Ele tem feito em nosso meio! 

QUEBRA-GELO

Nossa dinâmica de hoje será uma brincadeira sobre reprodução animal. Vai funcionar da seguinte forma: a cada rodada deve ser informado uma espécie animal e as pessoas devem falar seus palpites sobre tempo de gestação/incubação e sobre número de filhotes. Quem falar o palpite mais próximo ganha a rodada. Não vale consultar na internet até que a resposta da rodada seja revelada. Quem ganhar mais rodadas vence a brincadeira.

 

  Gestação / incubação Número Filhotes Ganhador da rodada
Coelho 30 dias Até 9
Rato 22 dias Até 13
Aranha 6 a 9 semanas Mais de 100
Barata 5 semanas Até 50
Égua 11 meses Até 3
Elefante 22 meses Até 2
Humano 9 meses Até 8 (recorde)

 

ALEGRIA DA MULTIPLICAÇÃO

Um dos momentos mais felizes no seio de uma família ocorre com a chegada de um bebê. Uma criança chega com a vida toda diante de si, trazendo todas as possibilidades e renovando as esperanças em seu ambiente. A maioria dos casais aguarda com expectativa o momento de receber seu filho, seja ele biológico ou adotivo.

Ao criar os seres vivos, microorganismos, plantas e animais, Deus colocou neles a habilidade de se reproduzir. Mesmo em situações adversas, a vida insiste em nascer.

Feitos à imagem e semelhança de Deus, no caso dos seres humanos, além do desejo e da capacidade de se reproduzir, nosso criador nos deu também uma ordem de que devemos gerar filhos:

“Criou Deus o homem à sua imagem, à imagem de Deus o criou; homem e mulher os criou. Deus os abençoou, e lhes disse: “Sejam férteis e multipliquem-se! Encham e subjuguem a terra! Dominem sobre os peixes do mar, sobre as aves do céu e sobre todos os animais que se movem pela terra”. Gênesis 1:27,28

A multiplicação nasceu no coração de Deus! Esse princípio vale para nossas famílias naturais e também para nossa família da fé. A bíblia diz que, quem recebeu a Cristo pela fé, se tornou um filho adotivo de Deus e passou a fazer parte de uma família com muitos irmãos espirituais.

Pergunta: Você já foi adotado como filho de Deus? Você já trouxe filhos adotivos para nossa família da fé?

CARTAS À FAMÍLIA DA FÉ

Pergunta: Você gosta de dar e/ou de receber cartas?

Hoje em dia quase não se usa mais envio de cartas de papel, pois e-mails e mensagens de texto alteraram a forma como nos comunicamos. Mas quem já recebeu uma carta dessas, sabe a emoção de abrir o tão esperado envelope.

Vamos dar uma olhada em uma carta escrita pelo apóstolo Paulo à sua família da fé que residia na cidade de Colossos. Posso imaginar a alegria desses irmãos ao receber e ler a carta de Paulo. Quando lemos essa e outras cartas dos apóstolos às igrejas do primeiro século, é fácil perceber como era viva e dinâmica essa família da fé. Como as pessoas se reuniam nas casas e nos templos para adorarem a Deus juntos e para edificação mútua.

A Central é uma igreja neotestamentária que compreende o privilégio de fazer parte dessa família da fé que atravessa as gerações. Somos uma igreja em células, vivendo o amor de Deus e transformando o mundo. 

CRESCENDO AO REDOR

Vamos ler alguns versos dessa carta e extrair princípios para nossa família da fé: Colossenses 1:3-6

Pergunta: Qual o sentimento demonstrado por Paulo ao comentar sobre o crescimento do evangelho? Porque, na sua opinião, ele demonstra esse sentimento?

É nítido o tom de alegria e júbilo de Paulo nos versos lidos. Podemos perceber alguns motivos para todo esse regozijo:

  • Fé: quando uma pessoa coloca sua fé em Cristo, todas as áreas da sua vida são transformadas.
  • Amor: quando uma pessoa percebe como é amada por Cristo, ela começa a transbordar amor para as pessoas à sua volta.
  • Esperança: apesar de vivermos em um mundo de trevas, a nova vida que aguarda os filhos de Deus no céu faz uma pessoa deixar de lado todo medo e desespero.
  • Verdade do evangelho: apesar de vivermos em um mundo tão confuso, bombardeados por tantas Fake News, podemos confiar plenamente no evangelho, pois ele é a verdade.

Por todos esses motivos, Paulo está alegre e agradece em suas orações porque o evangelho está crescendo e frutificando por todo o mundo. O que Paulo está querendo dizer com isso?

Ele está afirmando que as boas novas da salvação em Cristo estão se espalhando por todo o mundo e que cada vez mais pessoas têm tido suas vidas e suas eternidades transformadas, passando a fazer parte dessa família da fé.

Pergunta: Você também fica alegre quando percebe que o evangelho está crescendo e frutificando? 

CRESCENDO PARA DENTRO

Vamos prosseguir em nossa leitura: Colossenses 1: 9-12

Nesse segundo trecho Paulo menciona mais uma vez o crescimento do evangelho. Mas dessa vez ele está falando de outro tipo de crescimento: o crescimento interior.

Pergunta: Desde que você creu em Cristo, o evangelho cresceu dentro de você? Você consegue apontar frutos na sua vida que tornam evidente esse crescimento interior?

Mais uma vez Paulo está alegre. Mais uma vez ele está orando e agradecendo a Deus. Dessa fez seu júbilo é porque os irmãos da fé, tem tido suas vidas transformadas. É muito importante compreendermos este aspecto, pois uma pessoa que se diz cristã, deve evidenciar esse fato por meio de frutos em sua vida que mudam completamente seus hábitos, suas reações, seus relacionamentos, suas prioridades e seus sonhos.

Da mesma forma que uma criança biológica encontra em sua família ambiente propício para crescer e se desenvolver, uma pessoa que recebe a Cristo vai encontrar na sua família da fé ambiente adequado para crescer espiritualmente.

Ninguém cresce espiritualmente sozinho. Antes deve encontrar junto aos irmãos incentivo e ferramentas para desenvolver a sua fé. Paulo fala sobre alguns aspectos que devem ser desenvolvidos:

  • Conhecimento da vontade de Deus: aprender sobre a bíblia e conhecer o caráter e o coração de Deus. Isso se dá por meio de devocionais, estudos, mensagens e aulas.
  • Sabedoria e entendimento espiritual: sabedoria e entendimento são a habilidade de aplicar o conhecimento nas situações da vida, na tomada de decisões e nos relacionamentos, além de conseguir discernir situações de maneira espiritualmente mais profunda. Isso se dá por meio de revelação do Espírito Santo, observação atenta, além de conversas de discipulado e aconselhamento.
  • Viver de maneira digna: após receber imputs de conhecimento e sabedoria, um cristão começa a evidenciar mudanças em suas atitudes. Não são mudanças exteriores forçadas, mas sim mudanças genuínas, de dentro para fora. Esse processo vai se consolidando com mais devocionais, estudos e discipulado.
  • Frutificar em boas obras: um passo fundamental para continuar crescendo e sendo transformado é se envolver com o serviço em sua igreja local. Ao se envolver nas atividades da sua igreja, um cristão descobre a alegria de ser usado por Deus na vida de outras pessoas, além de descobrir seus dons e chamado.
  • Fortalecimento espiritual: a vida traz consigo desafios e momentos difíceis. Nada melhor do que estar conectado a uma família da fé, onde é possível receber orações, apoio, encorajamento e fortalecimento.

APLICAÇÃO

Muito impressionante perceber como Deus planejou o crescimento, pois o evangelho só pode crescer por meio da ação de pessoas. O evangelho não cresce por si só. Para que ele cresça, seja para dentro, seja ao redor, é necessário que uma pessoa aja como canal de Deus na vida de outra pessoa.

Somos cooperadores de Deus e temos o privilégio de agir na vida uns dos outros. Deus sonhou este ambiente de uma família da fé como o local propício para que pessoas nasçam de novo sendo adotadas como filhos de Deus e para que se desenvolvam até se tornarem maduras. Você não pode crescer sozinho. As pessoas ao seu redor também não.

Reflita com as pessoas presentes como está o coração do grupo acerca destes dois tipos de crescimento: ao redor e para dentro.

  • Você está conectado à sua família da fé?
  • Liste quais atividades você participa regularmente a fim de crescer e frutificar (célula, cultos, CCM, ministérios).
  • Você se alegra com o crescimento do evangelho ao redor? O que você tem feito para contribuir?
Fechar Menu