Série - dezembro 03, 2022

Comunidade • 04 a 09 de julho

COMUNIDADE CÉLULA: 4 a 9 de julho

INTRODUÇÃO

Hoje começamos uma nova série muito especial! Nela vamos falar sobre a essência da Igreja em Células. Vamos aprender os valores fundamentais de uma célula, conheceremos as bases bíblicas do viver igreja e seremos renovados de maneira poderosa por Deus.

Nos reunimos em nossa célula semanalmente, mas corremos o risco de entrar no piloto automático. Nas próximas semanas teremos a oportunidade de promover reflexões profundas sobre o funcionamento da nossa célula, vamos identificar seus fatores de saúde e concluíremos essa série cheios de inspiração e entendimento bíblico.

Será forte e renovador, tanto para você, líder da célula, quanto para seus membros e visitantes! Prepare-se para essa jornada! Aproveite ao máximo os recursos propostos ao longo da série. Envolva sua célula nas perguntas, dinâmicas e desafios que serão disponibilizados durante as lições.

Pare por alguns instantes e ore pelas pessoas da sua célula e pela sua reunião dessa semana. Que Deus abençoe muito sua vida e sua liderança!

QUEBRA-GELO

Para dar start em nossa nova série, o quebra-gelo dessa semana será um termômetro importante de como está a sua célula, na percepção dos seus membros. Entregue uma folha e uma caneta para cada um dos presentes. Peça para eles fazerem uma avaliação sincera sobre a célula, aproveite tudo o que for registrado para promover, junto com o grupo, mudanças e melhorias.

Peça para as pessoas dividirem a folha em três colunas. Em cada coluna eles devem registrar sua percepção sobre a célula. Dê um tempo para todos escreverem e depois peça para cada um apresentar sua parte. Se o grupo tiver muito grande, para não delongar demais o tempo de apresentação, faça subgrupos e coloque um líder em treinamento como responsável por conduzir cada subgrupo.

Que bom

Registre o que você mais gosta em nossa célula.

Que Pena

Registre o que te incomoda em nossa célula.

Que Tal

Registre suas sugestões de como podemos melhorar a nossa célula

A COMUNIDADE DE JESUS

Jesus começou uma comunidade e essa comunidade continua viva, ativa e crescente. Vamos olhar para algumas características dessa comunidade fundada pelo nosso Senhor aprendendo seus princípios norteadores, a fim de imitá-los.

“Minha oração não é apenas por eles. Rogo também por aqueles que crerão em mim, por meio da mensagem deles, para que todos sejam um, Pai, como tu estás em mim e eu em ti. Que eles também estejam em nós, para que o mundo creia que tu me enviaste. Dei- lhes a glória que me deste, para que eles sejam um, assim como nós somos um: eu neles e tu em mim. Que eles sejam levados à plena unidade, para que o mundo saiba que tu me enviaste, e os amaste como igualmente me amaste. “Pai, quero que os que me deste estejam comigo onde eu estou e vejam a minha glória, a glória que me deste porque me amaste antes da criação do mundo. “Pai justo, embora o mundo não te conheça, eu te conheço, e estes sabem que me enviaste. Eu os fiz conhecer o teu nome, e continuarei a fazê- lo, a fim de que o amor que tens por mim esteja neles, e eu neles esteja”. João 17:20-26

Pergunta: Você sabia que Jesus orou por você? De acordo com os versos que acabamos de ler, qual foi o conteúdo dessa oração que Jesus fez por mim e por você?

Na oração sacerdotal de Jesus, ele ora por todos que creriam nele, no futuro, e essa oração inclui a gente. Nessa oração, Jesus pede para que todos que crerem se tornem um com ele e com o seu Pai, formando assim uma grande comunidade.

Veja que os que fazem parte dessa comunidade estão ligados a Cristo e que as pessoas que não fazem parte dessa comunidade (ou seja, os que não creem) podem conhecer a Cristo, percebendo sua presença no meio da comunidade.

Em resumo, os filhos de Deus pela fé em Jesus (João 1:12) estão conectados com Cristo, recebem o Espírito Santo (João 14:16,17) e passam a fazer parte dessa comunidade unidos com Deus (João 17:21). As pessoas que ainda não creem podem conhecer a Deus por meio da sua comunidade e, crendo, serem integradas a ela.

Esse é o milagroso e maravilhoso plano de Deus. É a maneira como Deus age e se revela às pessoas. Repare que há um movimento nessa comunidade que cresce, mas ao mesmo tempo continua íntima. Vamos conhecer um pouco sobre a natureza de Deus e seu mover em comunidade?

1. Deus é uma comunidade

Comunidade faz parte da essência e da natureza de Deus. Ao longo das escrituras, vemos que o Pai, o Filho e o Espírito Santo formam uma perfeita comunidade e se relacionam entre si, cada um com suas características e personalidades. Juntos criaram o ser humano: Então disse Deus: “Façamos o homem à nossa imagem, conforme a nossa semelhança (…)” Gênesis 1:26.

Quando uma pessoa é batizada, passa a fazer parte dessa comunidade eterna, composta pela Trindade: Portanto, vão e façam discípulos de todas as nações, batizando-os em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo.” Mateus 28:19.

Cada uma das pessoas da Trindade tem sua função interagindo em perfeita harmonia, respeito e integração: “Mas o Conselheiro, o Espírito Santo, que o Pai enviará em meu nome, lhes ensinará todas as coisas e lhes fará lembrar tudo o que eu lhes disse.” João 14:26.

Deus é uma comunidade. Na natureza de Deus vemos pessoas diferentes integradas e interagindo entre si. Deus é relacional, comunicativo e atuante. Sua comunidade, além de se relacionar, é criativa, agindo de maneira poderosa para criar o universo e tudo o que existe.

1

Pergunta: Você já parou para pensar que temos uma natureza relacional e amamos viver em comunidade porque fomos criados à imagem e semelhança de Deus?

2. A Comunidade de Deus é aberta

Pai, Filho e Espírito Santo não são uma “panelinha”. Sua comunidade é aberta. Desde o início, Deus planejou expandir sua comunidade, criando o homem para se relacionar com ele. Ao longo de toda a história bíblica, vemos Deus se aproximando e se revelando à humanidade (Adão, Noé, Abraão, Moisés, Davi, Daniel, etc.), a fim de incluir aqueles que creem à sua comunidade: “Estejam certos, portanto, de que os que são da fé, estes é que são filhos de Abraão.” Gálatas 3:7.

O ápice da revelação de Deus ocorreu quando enviou seu filho.

“O próprio Jesus afirmou: “Você não me conhece, Filipe, mesmo depois de eu ter estado com vocês durante tanto tempo? Quem me vê, vê o Pai. Como você pode dizer: ‘Mostra-nos o Pai’? Você não crê que eu estou no Pai e que o Pai está em mim?” João 14:9-11.

Jesus completou: “Eu sou o caminho, a verdade e a vida. Ninguém vem ao Pai, a não ser por mim.” João 14:6. Quem se aproxima de Jesus, tem acesso à essa comunidade.

Pergunta: Você faz parte dessa comunidade? Você crê que Jesus é O caminho, A verdade e A vida?

3. A comunidade de Deus é dinâmica

Se você reparar vai perceber que a comunidade, como direcionada por Jesus, se move. Há uma lógica e intenção na maneira de ser desse grupo de homens e mulheres que creem em Cristo: “Todos os que criam mantinham-se unidos e tinham tudo em comum. Vendendo suas propriedades e bens, distribuíam a cada um conforme a sua necessidade. Todos os dias, continuavam a reunir-se no pátio do templo. Partiam o pão em suas casas, e juntos participavam das refeições, com alegria e sinceridade de coração, louvando a Deus e tendo a simpatia de todo o povo. E o Senhor lhes acrescentava todos os dias os que iam sendo salvos.” Atos 2:44-47

“Todos os dias, no templo e de casa em casa, não deixavam de ensinar e proclamar que Jesus é o Cristo.” Atos 5:42

Todos os que criam mantinham-se unidos, reunindo-se no templo e de casa em casa. Esses dois momentos distintos nos ajudam a compreender características cruciais dessa comunidade. A Igreja se move nesses dois ambientes: um grupo grande que reúne muitas pessoas e grupos pequenos, onde essas pessoas podem se conhecer e serem discipuladas.

Essa lógica se mantem em todo o Novo Testamento. O próprio Jesus se conectou com as pessoas dessa forma: ele ministrou e se envolveu com grandes grupos (Sermão do Monte, multiplicações de pães, visitas ao templo e sinagogas, etc.), mas se dedicou a caminhar de maneira próxima a um grupo menor e mais íntimo (12 discípulos, sobretudo Pedro, Tiago e João).

Em Atos, vemos a Igreja liderada por Pedro dando continuidade ao movimento que eles aprenderam com Jesus. Momentos de se reunir em grandes grupos, chegando ao nível de multidão. E momentos de se reunirem espalhados pelas casas, olhando nos olhos uns dos outros e comendo juntos.

Seguindo o Novo Testamento, vemos o apóstolo Paulo caminhando da mesma forma: “Então Paulo saiu da sinagoga e foi para a casa de Tício Justo, que era temente a Deus e que morava ao lado da sinagoga.” Atos 18:7. Paulo, assim como Jesus, Pedro e os demais apóstolos, reunia-se em grandes e em pequenas reuniões.

Em suas viagens missionárias, Paulo fundava uma igreja base em cada cidade e essa igreja se reunia em locais mais amplos com todos os crentes daquela cidade, mas também de casa em casa: “As igrejas da província da Ásia enviam-lhes saudações. Áqüila e Priscila os saúdam afetuosamente no Senhor, e também a igreja que se reúne na casa deles.” 1 Coríntios 16:19.

Pergunta: Você tem o hábito de se reunir semanalmente no templo e de casa em casa?

A IGREJA DE DUAS ASAS

Chamamos esse movimento observado no Novo Testamento de Igreja de Duas Asas. Semelhante a um pássaro que não pode voar com apenas uma asa, entendemos que uma igreja não pode voar e atingir lugares mais altos sem as duas asas. Não podemos dizer que uma asa é melhor ou mais importante que a outra. As duas asas fazem parte do movimento que Jesus deu à sua comunidade, à sua Igreja.

• Devemos nos reunir em grandes encontros de celebração, a fim de adorar a Deus, receber ensino e visitação de Deus, compreendendo a amplitude dessa comunidade à qual pertencemos.

• Devemos também nos reunir em grupos pequenos nas casas onde todos sabem o nosso nome, onde podemos abrir o nosso coração, descobrindo a palavra aplicada ao dia a dia, descobrindo dons e caminhando lado a lado com outros irmãos.

Simples assim, quem participa somente das células, mas não frequenta assiduamente os cultos de celebração semanais, está perdendo. Quem participa somente dos cultos está vivendo uma experiência de comunidade incompleta e muito aquém do que Deus planejou. Quem não participa de nenhuma das duas, será que pode afirmar que faz parte da comunidade dos filhos de Deus?

CONCLUSÃO

Deus é uma comunidade. Pai, Filho e Espírito Santo se relacionam desde a eternidade, interagindo entre si para criar todas as coisas. A comunidade de Deus é uma comunidade aberta, que recebe a cada dia os que creem em Jesus. Como o próprio Jesus orou, quem crê se torna um com ele e o mundo ao redor crê por observar a presença de Deus no meio da sua comunidade.

A comunidade de Deus é dinâmica. Se movimenta regularmente em grandes grupos onde celebramos a Deus e reconhecemos a grandeza dessa comunidade. Nos movemos também em grupos pequenos nas casas, onde somos conhecidos, discipulados e praticamos a palavra.

Reflita se você faz parte e tem vivido tudo que essa comunidade tem pra você:

• Você crê que Jesus é o único caminho para ter comunhão com Deus?

• Você já recebeu o Espírito Santo para habitar em seu coração?

• Você entende que a comunidade de Deus é aberta e tem permitido Deus se revelar às pessoas por meio da sua vida?

• Você tem vivido tudo que a Igreja de Duas Asas pode proporcionar, reunindo-se regularmente no templo e nas casas?