Série - outubro 30, 2020

A liberação do sobrenatural • 28 de setembro a 3 de outubro

Série - outubro 30, 2020

A liberação do sobrenatural • 28 de setembro a 3 de outubro

INTRODUÇÃO

Estamos abordando nos cultos e nas células o tema “sobrenatural”. Na última semana, estudamos sobre “O povo sobrenatural”. A grande verdade salientada foi: Se Deus é o Deus do sobrenatural, é de se esperar que seus filhos sejam o povo do sobrenatural. Aprendemos que:

  1. Jesus deseja que seus discípulos operem no sobrenatural.
  2. Jesus capacitou seus discípulos para operarem no sobrenatural.
  3. Os discípulos operaram no sobrenatural.

QUEBRA-GELO

Nós somos filhos de um Deus sobrenatural e, por isso, devemos ser gente que vive o sobrenatural como parte natural de nossa vida. Como diz o ditado: “Filho de peixe, peixinho é”. Então vamos verificar através de algumas perguntas se todos aprenderam e ainda se lembram do que estudamos na semana passada. Pergunte ao grupo:

  1. Como podemos saber que Jesus deseja que seus discípulos operem no sobrenatural? Há uma base bíblica para esta afirmação? (Resposta: João 14.12)
  2. De que maneiras Jesus capacitou seus discípulos a operarem no sobrenatural? (Lucas 9.1-2). E nós, hoje em dia, como somos capacitados?
  3. Cite alguns fatos bíblicos que demonstram que, à semelhança de Jesus, seus discípulos, mesmo sendo gente simples e comum, também operaram no sobrenatural.

LEITURA BÍBLICA: 2 Coríntios 4.7

“Temos, porém, este tesouro em vasos de barro, para que a excelência do poder seja de Deus e não de nós.”

Nessa passagem, o apóstolo Paulo apresenta uma figura muito esclarecedora da nossa realidade. Vivemos uma espécie de paradoxo: acreditamos no Deus Sobrenatural, mas não acreditamos em nós mesmos. A maioria, no fundo, pensa assim: “Eu, uma pessoa sobrenatural? Como, se me sinto tão normal e tão limitado?”

Pergunta: Não é assim mesmo que você se sente quando alguém diz que Deus quer usar você de forma sobrenatural? Normalmente pensamos: “Quem, eu? Nunca!”

 

TESOURO EM VASOS DE BARRO

Mas Paulo apresenta uma analogia interessante para falar da manifestação do poder de Deus dentro das nossas limitações. Ele nos compara com vasos de barro que carregam um tesouro escondido.

O tesouro a que Paulo se refere é tudo aquilo que Deus tem depositado dentro de nós a partir da nossa conversão e nossa rendição a Ele. Podemos listar alguns dos presentes mais preciosos que Deus tem despejado dentro de nós:

  1. Nós carregamos a unção e o poder do Espírito Santo – veja Atos 1.8, 2.38; 1 Coríntios 6.19
  2. Nós carregamos a autoridade e o poder do nome de Jesus Cristo – veja Mateus 28.18-20, Lucas 9.1-2,6.
  3. Nós carregamos o amor ágape de Deus – veja Romanos 5.5, Gálatas 5.22
  4. Nós carregamos a mensagem do evangelho e o poder da Palavra de Deus – Romanos 10.8, Mateus 28.18-20, 1 Coríntios 2.4,5.
  5. Nós carregamos o testemunho de uma vida nova – Atos 1.8, 2 Coríntios 4.6, Romanos 15.18,19.

Ou seja, o poder é de Deus e não nosso. Deus não espera que usemos um poder que Ele bem sabe que não temos, por isso, ele nos carrega com seu tesouro precioso.

Por outro lado, o vaso de barro fala de um objeto frágil e sem muito valor em si mesmo. Ao usar esta figura, Paulo tem em mente que o cristão é uma pessoa comum, como as mesmas limitações naturais de todas as pessoas, mas que mesmo assim pode ser usado sobrenaturalmente por Deus, que escolheu usar gente imperfeita como eu e você.

Em Tiago 5.17 é declarado que Elias, o grande profeta do Velho Testamento, era humano como nós. Mas que mesmo com suas limitações foi tão poderosamente usado por Deus. Por exemplo, um dia ele orou e fez com que voltasse a chover em Israel.

Em 1 Coríntios 15.9-10, Paulo afirma: “Pois sou o menor dos apóstolos e nem sequer mereço ser chamado apóstolo, porque persegui a igreja de Deus. Mas, pela graça de Deus, sou o que sou, e sua graça para comigo não foi inútil; antes, trabalhei mais do que todos eles; contudo, não sou, mas a graça de Deus comigo”. Paulo reconhece sua limitação (o menor dos apóstolos), mas ao mesmo tempo reconhece que fez uma grande obra. Como ele conseguiu isso? Através da graça de Deus, a Sua força capacitadora a nosso dispor. É pela graça que podemos ir além das nossas limitações de vasos de barro, por causa do tesouro que Deus nos concede gratuitamente.

A LIBERAÇÃO DO TESOURO

Vamos voltar ao nosso texto base, mas agora observemos o verso 10:

“Trazemos sempre em nosso corpo o morrer de Jesus, para que a vida de Jesus também seja revelada em nosso corpo.” (2 Coríntios 4.10)

Este é o princípio bíblico da vida que nasce da morte. Jesus disse em João 12.24 que se o grão de trigo não cair na terra e não morrer, continuará ele só. Mas se morrer, dará muito fruto. É quando a semente morre que o potencial de vida que está dentro dela é liberado. O quebrantamento é o caminho para a liberação do Espírito e do tesouro que carregamos dentro de nós.  Apenas pelo quebrantamento, morrendo para nós mesmos, é que a vida do Senhor vai se manifestar através de nós.

Por isso Deus quer muito que os seus filhos sejam conscientes de que são vasos de barros, limitados e frágeis. Porque se um crente for orgulhoso e auto suficiente, achando-se muito bom e excelente, ele jamais trilhará o caminho do quebrantamento.

E quando falamos de morrer para manifestar o que temos dentro de nós, um exemplo muito esclarecedor é história de Gideão. Ele levou trezentos valentes armados apenas de vasos de barro com tochas de fogo dentro para guerrear contra o imenso exército dos midianitas (Juízes 7.16). Eles deveriam esconder as tochas dentro dos vasos até a hora certa. E no momento certo, ao seu comando, todos os valentes deveriam quebrar seus vasos de barro e tocar trombetas. Por que eles tinham que quebrar os vasos de barro? Porque era a única forma de liberar aquele fogo que estava escondido dentro dos vasos.

De forma semelhante, quando eu e você nos quebrantamos e reconhecemos a nossa limitação, indo aos pés do Senhor diariamente para nos humilhamos e nos fortalecermos nele, ao quebrar este vaso podemos manifestar e revelar aos outros e ao mundo o tesouro que temos dentro de nós, Jesus Cristo que vive em nós (Gálatas 2.20; Colossenses 1.27)

CONCLUSÃO

Quer viver uma vida sobrenatural? Viva em função do tesouro que Deus colocou dentro de você e não do vaso de barro e suas limitações. Não olhe para você mesmo, mas fixe os olhos em Jesus, autor e consumador da nossa fé.

Ministração: Ore por aqueles que estão precisando de quebrantamento e de liberação do sobrenatural em suas vidas. Ore também por aqueles que desejam ser instrumentos de Deus, para que a graça de Deus os capacite em tudo.

Fechar Menu